Procura algum livro? Contacte-nos

Newsletter

Theodore Austin-Sparks

Theodore Austin-Sparks (1888-1971) foi um inglês Evangelista Adenominacional; Escritor do Movimento Vida Interior; e Conferencista. O seu ministério influenciou muitas lideranças no cristianismo, por exemplo, Watchman Nee.



Seus escritos não focalizam a sua pessoa, pelo contrário, conduzem o leitor para perto da Pessoa de Cristo. "T.A.S." sempre dizia as palavras de 2 Coríntios 4:5: "Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos [escravos], por amor de Jesus" (VRA).

Theodore Austin-Sparks nasceu em Londres, na Inglaterra. Durante a sua infância foi viver na Escócia com seus parentes. Seus parentes sempre ministravam porções da Bíblia nos seus tempos de meninice.

Aos 17 anos de idade enquanto transitava pelas ruas da cidade de Glasgow, uma das maiores cidades da Escócia, presenciou alguns jovens pregadores ao ar livre ministrando o Evangelho Salvífico. As palavras dos pregadores eram símplices, mas cheias de Poder e Vida do Alto, tais palavras penetraram seu coração com tanto impacto no seu espírito humano que resolveu assumir real compromisso com Cristo e Sua obra.

Na sua juventude soberanamente Deus providenciou um mentor espiritual, o Sr. George Campbell Morgan.

G. Campbell Morgan foi um britânico evangelista, pregador e líder estudioso da Bíblia. Morgan durante sua infância e juventude foi influenciado pela tradição Puritano-Batista e pelo movimento "Irmãos de Plymouth". O ministério de D.L. Moody (1837-1899) também foi marcante para a sua vida.

Nos anos de 1883, G.C. Morgan trabalhou junto com D.L. Moody em uma turnê evangelística na Grã-Bretanha.

Tal homem com preciosas influências foi concedido por Deus para ser mentor de T. Austin-Sparks. O Sr. G. Campbell Morgan ministrava estudos bíblicos para Sparks e outros jovens, contudo, quem mais participava era Austin-Sparks, assim quase sempre era requisitado como preletor do grupo de jovens. Seu dom de pregação foi tão aperfeiçoado que constituiu um ministério e no término dos estudos bíblicos conduzidos por G.C. Morgan, muitas conferências evangélicas já expediam convites para T. Austin-Sparks ministrar pregações bíblicas.

Theodore Austin-Sparks não tinha dúvidas sobre sua regeneração, no entanto, sempre comparava a amplitude da Palavra de Deus contida na Bíblia com sua real condição de vida interior e expressão exterior. Sparks nunca admitiu enganar as pessoas com ministrações da Palavra profundas e abrangentes que não fossem vivenciadas no seu interior e reproduzidas nas suas atitudes como expressão exterior. Quando constatava que as Verdades Bíblicas não eram identificadas na sua vida, ficava muito triste e buscava arrependimento e iluminação do Espírito Santo para a sua vida.

Certo dia, procurou sua esposa e disse: "Eu vou para o nosso quarto; não quero que ninguém me interrompa. Não importa o que aconteça, eu não sairei daquele quarto até que saiba pelo Senhor qual caminho irei seguir". Naquele quarto, Austin-Sparks buscava incessantemente a renovação espiritual para a sua vida. Desejava ardentemente que Deus confirmasse o ministério para o qual fora chamado.

Permaneceu fechado no quarto durante todo o dia, ficou em silêncio diante do Senhor aguardando respostas. Leu durante horas a Bíblia até que iniciou a leitura do capítulo 6 de Romanos. Nesse momento, Sparks disse: "O céu foi aberto para mim e a luz brilhou no meu coração". Pela primeira vez, ele compreendeu que havia sido crucificado com Cristo e que o Espírito Santo estava nele e sobre ele para reproduzir a natureza de Cristo. Tal descoberta foi revolucionária para a vida de T. Austin-Sparks. Quando saiu do quarto, ele era um homem transformado e com um ministério renovado. Começou pregar a Jesus Cristo como Vida e Poder, exaltando o nome do Senhor Jesus acima de todas as outras coisas. Daquele dia em diante, nunca mais pregaria outra porção da Bíblia acima do próprio Cristo.

Nessa nova fase do seu ministério, começou a ensinar o "caminho da cruz", enfatizando a necessidade da operação da cruz no interior da vida de cada crente. Ele mesmo já experimentara a operação da cruz de Cristo no seu interior e percebera que tal operação produziu desfrute completamente novo da Vida de Cristo, o que para ele era como "um céu aberto".

Austin-Sparks escolheu enfatizar melhor o Corpo de Cristo e a liberdade do Espírito para que Deus utilizasse uma variedade de expressões nesta Terra e que em cada expressão existente fosse levantado testemunho do Cabeça que está no Céu.

Além da ajuda do Sr.George Campbell Morgan, também recebeu muita contribuição espiritual da Sra. Jessie Penn-Lewis que detinha claro entendimento sobre a operação interior da cruz na vida do cristão. Jessie constatou que Austin-Sparks seria o herdeiro do seu ministério que fora dado pelo Senhor Deus. Theodore Austin-Sparks exercitou os seus dons conferidos por Deus e alcançou a formação de um excelente ministério em Cristo. Foi um pregador e mestre muito querido e popular no segmento cristão chamado "Movimento Vencedor".

Austin-Sparks foi editor de uma revista e na edição de julho de 1966 escreveu: É apenas em certas ocasiões que nós escrevemos acerca do nosso ministério. Nosso desejo não é atrair a atenção das pessoas para líderes e ministérios, mas ocupar os leitores com o Senhor Jesus e com o ministério de Sua Palavra. Mas de tempos em tempos, acreditamos ser sábio e importante lembrar nossos leitores do propósito que definitivamente governa nosso ministério - e que sempre tem governado... / O que é nosso ministério? Devemos retornar um pouco. O nome deste pequeno jornal que é a expressão impressa do nosso ministério durante esses 44 anos, incorpora o seu sentido - 'Testemunha e testemunho'. Testemunha é o vaso ou instrumento usado; Testemunho é o ministério dentro e através do vaso. O Testemunho sempre existiu, mas cresce através da luz de Deus - para a grandeza e plenitude de Jesus Cristo, o Filho de Deus e Filho do Homem. Esta grandeza tem sido centralizada e desdobrada em:

Sua Pessoa;
A imensidão do propósito eterno de Deus centralizado n'Ele e exclusivamente relacionado com Ele;
A grandeza de Sua cruz como básica e essencial para a grandeza de Sua pessoa e obra nos crentes;
A grandeza da Igreja que é Seu corpo essencial e escolhida para Sua manifestação final em plenitude e governo no novo Céu e nova Terra;
A necessidade de que todo o povo de Deus saiba, não apenas da salvação, mas do imenso propósito de salvação no eterno conselho de Deus, sendo trazido ao pleno conhecimento e crescimento pelo suprimento de Cristo Jesus em ampla medida.

Nós percebemos que o Novo Testamento contém uma tremenda urgência nesta matéria; tal urgência é resumida nas palavras do apóstolo Paulo: 'advertindo a todo homem e ensinando a todo homem... a fim de que apresentemos todo homem perfeito [completo] em Cristo' (Colossenses 1:28). Cremos que todas as atividades soberanas do Espírito Santo são direcionadas para este alvo e determinadas por este objetivo. Podem existir aspectos diferentes, mas o alvo é simples e único. Os grandes esforços evangelísticos e missionários que são governados pelo Espírito Santo têm este alvo em vista... Entendemos honestamente que não é nossa comissão dizer às pessoas para deixarem suas denominações ou missões, mas nosso encargo é fornecer bom alimento espiritual para todos. O assunto do alimento espiritual tem espaço amplo no Novo Testamento, e se podemos corretamente ser chamados de 'ministério' e não de 'movimento' ou 'organização', esta alimentação das almas famintas mundo a fora pode certamente interpretar como nossa preocupação...


Os líderes da época existentes no cristianismo ficaram incomodados com as pregações ministradas por T. Austin-Sparks, pois suas palavras eram fortes, cheias de impacto, fundamentadas na Bíblia, e principalmente, fluíam Vida e Poder do Alto.

No entanto, tal ministério valoroso em Vida e Poder não foi constituído em T. Austin-Sparks sem lutas e sofrimentos. Enfrentou grande luta quando ficou sem moradia e foi obrigado a morar na rua com sua esposa e filhos, mas essa situação não esmorecia a família Sparks que com muita insistência clamavam pela provisão de Deus em nome de Jesus Cristo. Assim, Deus que sempre ouve orações movidas pelo Espírito no nosso espírito humano e fundamentadas na Bíblia, encaminhou a solução do problema através de uma crente que servira ao Senhor Deus como missionária na Índia e foi muito ajudada pelo ministério de Sparks. Essa senhora cristã comprou uma escola em Honor Oak, área suburbana do bairro londrino de Lewisham e ofertou ao ministério. A escola foi transformada em um local de reuniões e comunhão cristã, bem como serviu como sede das conferências em Honor Oak. Nesse lugar Austin-Sparks estabeleceu moradia e ministrava grandes conferências em público e em Palavra. Pessoas de vários lugares apareciam para ouvir os sermões de T. Austin-Sparks e muito desfrute de Cristo era provado nas reuniões.

Em 1937, Watchman Nee (34 anos) conheceu Theodore Austin-Sparks (49 anos). Durante a juventude de Nee os livros de Austin-Sparks foram fundamentais para sua formação espiritual.

Nessa época Watchman Nee desfrutou das conferências maravilhosas ministradas por Sparks, no entanto, com o início da Segunda Guerra Mundial as conferências foram suspensas e retomaram as atividades no período de 1946 até 1950.

Austin-Sparks enfrentou muitas lutas e perseguições ao seu ministério, mas cria que durante o sofrimento Deus concede graça abundante e depois de toda luta nasce a vitória.

Poucos na história do cristianismo moderno enfrentaram tanta oposição. Livros e panfletos eram escritos contra ele, religiosos proferiam maldições para a sua vida. Facciosos o acusavam de falso mestre. A prova mais dura que enfrentou veio dos próprios cristãos. As lutas decorrentes de perseguições de incrédulos era compreensível, mas as calúnias dos crentes cortava-lhe o coração. Muitos cristãos que não concordavam com o seu ministério evitavam manter contato com ele, não estendiam a mão para cumprimentá-lo e o tratavam como um leproso espiritual. Esse foi o maior de todos os seus sofrimentos.

T. Austin-Sparks restaurou muitas verdades bíblicas que na época não eram ouvidas em nenhum outro movimento cristão. Sempre dizia frases de reflexão: "A Igreja é o Corpo de Cristo". / "precisamos ter uma Vida de Corpo, pois os membros de Cristo são membros uns dos outros". / "não podemos tomar a Igreja, que é o Corpo do nosso Senhor Jesus unida ao Cabeça Cristo que está à mão direita de Deus, e reduzi-la a algo terreno". Todas essas frases eram estranhas, pois no mundo cristão falava-se sobre conversão, estudo bíblico, oração, testemunho, missões, vida vitoriosa, mas não existiam expressões de impacto sobre a Igreja, sobre o Corpo de Cristo, sobre sermos membros uns dos outros. Austin-Sparks era uma voz profética, mas foi isolado, rejeitado e caluniado.

George Campbell Morgan (G.C. Morgan), Jessie Penn-Lewis, Frederick Brotherton Meyer (F.B. Meyer) e Albert Benjamin Simpson (A.B. Simpson) exerceram grande influência em sua vida. Costumava dizer que de todos os pregadores que conhecera quando jovem, A.B. Simpson era o mais espiritual e o que falava com mais Poder do Alto.

O ministério de Theodore Austin-Sparks focalizava três pontos:

A universalidade e a centralidade da cruz;
A importância suprema do Senhor Jesus. Jesus Cristo é o início e o fim de tudo, o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último. Tudo está em Cristo: a nova criação, o novo homem, etc;
A Casa Espiritual de Deus: a Igreja é a Casa de Deus, a Noiva de Cristo, o Corpo do Senhor Jesus. Austin amava o povo de Deus, amava a Igreja. Ele dizia: "Isso é o coração da história, o coração da redenção". Por isso, costumava dizer: "Há algo além da salvação". / "A salvação não é o fim, mas é o meio para o fim. O fim que o Senhor tem é Sua habitação, Sua casa espiritual, Sua habitação no Espírito, e a salvação é o meio para nos colocar nessa casa espiritual de Deus".


As pessoas podiam não gostar de Austin-Sparks, não tolerar seu ministério, rejeitar suas convicções, mas Sparks deixou claro que toda exaltação cabe apenas ao Senhor Jesus, inclusive a sua vida foi motivada por isso, ou seja, expressar o Senhorio de Cristo não apenas em palavras mas sobretudo em atitudes.

"T.A.S." sempre enfatizou ao máximo a centralidade de Cristo e da cruz na experiência cristã. Todas as outras coisas benéficas são resultantes disso. Tudo o que Sparks ensinava era para levar os seus ouvintes e leitores de volta para o Senhorio de Cristo e para a Sua cruz. Nada mais importava!

Ele cria que todas as benesses existentes no seu ministério eram vindas dos Céus em Cristo, por isso devia ser repartida com o Corpo de Cristo. Nunca lutou por direitos autorais, sempre deixou seu material livre para todos, apenas exigia que o contexto e literalidade de suas palavras fossem mantidos.

Seu caminhar era acompanhado de oração e esperança que resultavam na completa medida de Cristo, em um nível mais rico e mais alto de vida espiritual. Para ele isso era suficiente para trazer a Igreja de Deus a uma crescente aproximação da vontade revelada de Cristo, assim, a Igreja poderia ser bem qualificada como instrumento usado por Deus no testemunho às nações e no completar do seu próprio número pela salvação daqueles que ainda serão adicionados pelo Senhor.

Assim como o apóstolo Paulo sentiu o horror da ingratidão e disse: "Você sabe que todos os da província da Ásia me abandonaram" conforme 2 Timóteo 1:15, NVI. Agora o velho Sparks sentia muita ingratidão, pois poucas pessoas permaneceram com ele, entretanto, sempre seguiu os conselhos de Pedro em Atos 5:29, NVI: "É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens!".